Sobre F8 e falar rapido

Como muitas pessoas me sentei hoje de manha e assisti a F8 Annual Developers conference do Facebook ao vivo desde São Francisco. A maioria das manchetes vão, tenho certeza, focar-se nas grandes mudanças que a plataforma irá incorporar nos próximos meses. Claro que será interessante ler a chuva de comentários no próprio Facebook enquanto os usuários se acostumam com as novas ferramentas e as nossas vidas sociais continuam a evoluir e como nossas relações no facebook murarão a medida que o site ganha mais controle sobre os elementos das nossas vidas. No nível pessoal parece que uma grande quantidade, mesmo que pequenas, de mudanças em um curto período de tempo pode gerar um certo estranhamento de alguns usuários com o site. Eu questionaria se nós como usuários teremos a chance de escolher, em algum momento, ficar com a plataforma como era, nos "aposentar" e deixar o publico mais hard-core ou jovem continuarem a se adaptar as novas versões.

Contudo, o que mais me interessou do evento, e vejo isto como um observador do comportamento comunicacional e alguém que morou na costa oste dos Estados Unidos, é quão rápido uma grande variedade de representantes do facebook, desenvolvedores, pessoal de PR, etc. sentiram a necessidade de falar muito rápido. Claro que eles estavam contentes com seus respectivos anúncios mas para uma empresas que é uma potencia no mundo da comunicação fiquei impressionado pela completa incapacidade de ligar para os espectadores do evento.

Tudo isto me fez questionar se há estudos que analise se estamos falando mais rápido, culturalmente e individualmente, do que o passado. Se você asiste filmes ou programas de radio antigos fica evidente que as pessoas falam mais devagar. Existe alguma evidencia empírica (nos ajude) que respalde nossa teoria do dia?